Informativo de Jurisprudência traz julgado sobre local de custódia de presos transexuais – STJ:

 

A Sexta Turma, por unanimidade, definiu que é dever do Judiciário indagar à pessoa autodeclarada parte da população transexual acerca da preferência pela custódia em unidade feminina, masculina ou específica, se houver, e, na unidade escolhida, preferência pela detenção no convívio geral ou em alas ou celas específicas. A tese foi fixada no Habeas Corpus 861.817, de relatório do desembargador convocado Jesuíno Rissato.  

 

Fonte: Informativo nº. 801 do STJ.

 

O PENALISTA l RODRIGO ROSA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Competência. Crime de inserção de dados falsos em sistemas de informações. Critérios de definição – STJ:

STF suspende realização de novo júri de réus pela tragédia da Boate Kiss:

SIGA NO TWITTER

SIGA NO YOUTUBE: